Leocádio José Correia e o espiritismo no Rio Grande do Norte por Sandra Borba e Francisco de Assis Pereira

Em 1995, começamos a viajar para atividades doutrinárias no Paraná. Nesse ano, convidada pelo confrade Sérgio Hilmar, participamos de evento em Curitiba, promovido pela União Regional Espírita que o confrade presidia.

Anos depois, retornaríamos à terra das Araucárias e, até os dias de hoje, temos fortalecido nossos laços de afeto com os queridos irmãos do movimento espírita paranaense, sempre em tarefas doutrinárias, em quase duas dezenas de cidades.

Há muitos anos, em conversa espontânea com nossa querida Maria Helena Marcon (Malena), ouvimos falar do Espírito Ildefonso Pereira Correia e de seu primo, Dr. Leocádio José Correia.  Esse nome soava em nossa intimidade como alguém conhecido, uma referência muito próxima que sabíamos existir, mas da qual não tínhamos exatamente clareza.

Dialogando com nosso esposo, Francisco de Assis Pereira, registramos que, na História  do nascimento do Espiritismo no Rio Grande do Norte estava presente o Espírito Leocádio José Correia.

 

Vamos aos fatos!

Pesquisando documentos históricos, encontramos na Ata de Reunião de Diretoria do então Centro Espírita Humanitário Agostinho de Hipona, do dia 28 de agosto de 1921, o registro da manifestação, nesta data, do Dr. Leocádio José Correia, responsável pelo receituário mediúnico do referido Centro.

Pela fusão do Centro Espírita Humanitário Agostinho de Hipona com o Centro de Estudos Espíritas Tereza de Jesus foi fundada a Federação Espírita NorteriograndenseFERN, aos 29 de abril de 1926, continuando o Espírito Leocádio José Correia a atuar, no agora receituário da entidade Federativa.

Destacamos que, na Ata número 02, de 2 de maio de 1926, da nascente instituição, é aprovada a criação da Escola Rudimentar Mista Dr. Leocádio José Correia, cuja instalação se deu aos 9 de maio do mesmo ano, funcionando, regularmente, até o final dos anos 50, atendendo a crianças economicamente carentes, oferecendo instrução primária e aulas de moral cristã.

O jornal Renascença, absorvido pela Federação e tornando-se seu órgão de divulgação oficial, registra, no seu número 13, de 31 de maio de 1926, importante  mensagem de Leocádio, recebida na própria FERN pela médium psicógrafa D. Marcionilla Dantas Moura, uma das fundadoras da  Casa Federativa, que transcrevemos  abaixo.

 

Que a paz e a harmonia reinem entre todos vós.

Amigos e caros irmãos, aqui me tendes para dar-vos, pela psicografia, alguns conselhos que vos sejam úteis. Sempre que os Espíritos vêm ao vosso meio, interessam-se pelo vosso progresso e procuram, com os seus conselhos, fortificar a vossa fé, pois é necessário que tenhamos uma fé inabalável, uma crença baseada na lógica, para que possamos progredir e caminhar pela estrada reta do dever. É por este motivo que os Espíritos vêm até vós, consolando-vos nas aflições, a fim de melhor suportardes o pesado fardo da atual existência.

Aquele que perseverar até o fim, maior recompensa colherá ao passar desta vida para um outro mundo melhor, vida isenta de sofrimentos físicos e necessidades materiais, o que já é uma grande vantagem para os Espíritos atrasados, porque no espaço somente lutam com os sofrimentos morais. Aí, sofreis moral e fisicamente, muitas vezes lutando para conseguir os meios de subsistência para si e para os seus.

Enquanto permaneci no atraso espiritual, procurando, de reencarnação em reencarnação, depurar-me e resgatar os meus erros, muito sofri porque as provas eram assaz amargas, porém eu as solicitava, para mais depressa saldar dívidas contraídas. Hoje, se bem que não me considere Espírito eleito do Senhor, gozo, entretanto, de uma felicidade relativa e o meu tempo emprego em benefício dos meus irmãos, aproveitando-me dos conhecimentos adquiridos nas minhas encarnações. Portanto, eu vos convido a estudar e trabalhar com amor, tudo suportando com resignação, para mais tarde vos julgardes feliz, relativamente.

Agora que me vou retirar, peço aos médiuns que se dediquem, tanto quanto possível, por meio das suas faculdades, à prática do Bem. Aqui ficam as minhas palavras.

Aproveito a ocasião para agradecer-vos a lembrança que tivestes em dar à vossa escola o meu nome. O vosso amigo de sempre, Leocádio.

Quanta lucidez, orientação e discrição desse Espírito, na mensagem dirigida aos trabalhadores do nascente movimento de Unificação nas terras potiguares!

De fato, nada sabemos dos vínculos afetivos e espirituais do Dr. Leocádio José Correia com os irmãos e o movimento espírita potiguar, mas até hoje Espíritos fazem referência ao amor e dedicação desse nobre irmão junto aos  enfermos dos dois planos da Vida.

É o Amor, essa força maior da Vida, que estabelece vínculos, laços extraordinários, provando que a solidariedade não tem fronteiras e onde quer que os filhos do Calvário estejam, estarão também agindo os corações, em sintonia com o Médico Divino, Jesus, amparando e consolando, orientando e servindo.


Artigo do Jornal Mundo Espírita - Junho de 2015